sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

ADEUS ANO VELHO

Oração de ano novo

Senhor Deus, dono do tempo e da eternidade, 
Teu é o hoje e o amanhã, o passado e o futuro. 
Ao acabar mais um ano, quero Te dizer obrigado 
por tudo aquilo que recebi de Ti. 
Obrigado pela vida e pelo amor, pelas flores, pelo ar 
e pelo sol, pela alegria e pela dor, 
pelo que é possível e pelo que não foi. 
Ofereço-Te tudo o que fiz neste ano, o trabalho 
que pude realizar as coisas que passaram pelas minhas mãos 
e o que com elas pude construir. 
Apresento-Te as pessoas que ao longo destes meses amei, 
as amizades novas e os antigos amores, 
os que estão perto de mim e os que estão mais longe, 
os que me deram sua mão e aqueles que pude ajudar, 
os com quem compartilhei a vida, o trabalho, a dor e a alegria. 
Mas também, Senhor, hoje quero Te pedir perdão. 
Perdão pelo tempo perdido, pelo dinheiro mal gasto, 
pela palavra inútil e o amor desperdiçado. 
Perdão pelas obras vazias e pelo trabalho mal feito, 
perdão por viver sem entusiasmo. 
Também pela oração que aos poucos fui adiando 
e que agora venho apresentar-Te, por todos meus ouvidos, 
descuidos e silêncios, novamente Te peço perdão. 
Nos próximos dias começaremos um novo ano. Paro 
a minha vida diante do novo calendário que ainda não se iniciou 
e Te apresento estes dias, 
que somente Tu sabes se chegarei a vivê-los. 
Hoje, Te peço para mim, meus parentes e amigos, a paz e a alegria, 
a fortaleza e a prudência, a lucidez e a sabedoria. 
Quero viver cada dia com otimismo e bondade, 
levando a toda parte um coração cheio de compreensão e paz. 
Fecha meus ouvidos a toda falsidade e meus lábios a palavras 
mentirosas, egoístas ou que magoem. 
Abre, sim, meu ser a tudo o que é bom. 
Que meu espírito seja repleto somente de bênçãos 
para que as derrame por onde eu passar. 
Senhor, enche-me de sabedoria, paz e amor, 
E que a amizade fraterna construída este ano 
dure para sempre em meu coração. 
Enche-me, também, de bondade e alegria, para que 
todas as pessoas que encontrei no caminho 
possam descobrir em mim um pouquinho de Ti. 
Dá-nos um ano feliz, e ensina-nos a repartir felicidade.

Amém!

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

Tipos de Maçom


Qual deles é o seu?

Maçom girafa - corpo na Loja cabeça lá fora.
Maçom gatinho - só está contente se mimado.
Maçom urubu - sempre no meio da carniça.
Maçom papagaio - precisa ter os pés amarrados e as asas cortadas para ser mantido na linha.
Maçom matraca - fala muito e fora de hora.
Maçom perua - só quer aparecer.
Maçom cigarra - sempre chiando enquanto os outros trabalham.
Maçom quiabo - está sempre escapando dos serviços em Loja ou fora dela.
Maçom casca de banana - sempre escorregando no que não sabe (e não viu).
Maçom bolo - só aparece nas festas.
Maçom açúcar - quando chove não vai para a Loja
Maçom pipoca - vive pulando daqui para ali, de Loja em Loja.
Maçom MacDonalds - quer as sessões em 30 segundos.
Maçom Denorex - parece que é mas não é.
Maçom Sonrisal - só agita.
Maçom iô-iô - ora subindo ora descendo, nunca se sabe se vem à Loja ou se vai cooperar.
Maçom carrinho de mão - precisa sempre ser empurrado.
Maçom reboque - precisa sempre ser puxado.
Maçom canoa - só vai se alguém remar para ele.
Maçom secreto - ninguém sabe que ele é Maçom, nem os Irmãos.
Maçom balão a gás - vive sempre cheio de ar e pronto para explodir.
Maçom “Seu” Lunga - tolerância zero.
Maçom celular - vive chiando e sempre fora de área quando se precisa dele.
Maçom clima - instável e inconstante.
Maçom nascer do sol - podemos sempre contar com ele para uma nova missão.
Maçom bateria descarregada - sem nenhuma energia nem força para ajudar os Irmãos e a Loja.
Maçom reconhecido pelo Irmão - firme em seus estudos, constante nos trabalhos e presente em sua Loja.

Hoje na História - 15 de Dezembro


15/12/1640 - D. João IV (de coroa) faz o seu juramento solene como Rei de Portugal.

15/12/1959 - Criada a SUDENE - Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste - através da Lei nº 3.692.

15/12/1961 - Em Israel, Adolf Eichmann, o coronel nazista responsável pela deportação de judeus para campos de concentração, é condenado a morte.

15/12/1993 - “A Lista de Schindler”, um grande sucesso do diretor Steven Spielberg retratando o Holocausto, estréia nos cinemas norte-americanos.

15/12/1992 - O governo de El Salvador e líderes da guerrilha esquerdista do país declaram o fim da guerra civil no país que havia durado 12 anos.

15/12/1983 - 80 soldados norte-americanos deixam Granada, apenas seis semanas após a invasão dos Estados Unidos à ilha no Caribe.

15/12/1978 - O presidente norte-americano Jimmy Carter anuncia que seu país estabeleceria relações com a China a partir de 1 de janeiro de 1979.

15/12/1964 - O Parlamento do Canadá adota uma nova bandeira nacional, com o desenho de uma folha vermelha num fundo branco.

15/12/1961 - A Assembléia Geral das Nações Unidas vota contra a proposta soviética de admitir a China como um de seus membros.

15/12/1916 - Após dez meses de luta e 600 mil mortos, os alemães suspendem a ofensiva de Verdun, a mais sangrenta da Primeira Guerra Mundial.

15/12/1906 - É criado o Conservatório Dramático e Musical de São Paulo.

15/12/1791 - No estado da Virginia, é ratificado o “Bill of Rights” – as primeiras dez emendas à Constituição dos Estados Unidos.

15/12/1572 - O historiador português Damião de Góis é condenado à prisão perpétua pela Inquisição.

ARTIGO


Filosofia e Maçonaria
Ir:. Denilson Forato, MI

A Maçonaria buscou sua essência filosófica, nas mais diversas escolas do pensamento humano.
É possível descobri-la entre os filósofos gregos, dos períodos romano e helenístico. Sua identificação fica mais clara ainda, quase que em sua totalidade, junto às escolas filosóficas modernas: Renascimento, Racionalismo e Iluminismo.
O grande objetivo das escolas modernas, era a liberação da consciência humana.
Além da prática do livre pensamento, a filosofia moderna traz impregnada em sua estrutura, um programa que vai desde a valorização da vida natural, passando pela ciência e investigação científica, até o reconhecimento dos valores e direitos individuais.
ESCOLA DO FILOSOFAR - A Maçonaria é uma instituição universal, fundamentalmente filosófica, trabalha pelo advento da justiça, da solidariedade e da paz entre os homens.
"A tarefa essencial da filosofia maçônica é irradiar a luz de nossos princípios e de nossos hábitos para melhorar a condição humana. Mais que monovalente, ou seja, de uma só linha, de uma só raiz, ela é polivalente. Tem vertentes, então, que a alimentam e ela se reparte como um delta no mundo profano. É tradicionalista e às vezes progressista; isto parece um paradoxo, mas não o é; tradição é conservar o melhor do passado para utiliza-lo em compreender mais o presente e preparar um porvir melhor que o presente. Ela não é o ensinamento de um conjunto de normas e princípios; nem um pensar exclusivo e excludente; é uma reflexão da vida e para a vida". Ir.'. Bolivar Valdeck - Gran logia De Chile
A FILOSOFIA MAÇÔNICA - "A filosofia maçônica separa o valioso do sem valor nas doutrinas e sistemas que a História conheceu; o permanente, constante, do arcaico, e o proveitoso para o homem e a sociedade do inútil para ele.
A filosofia maçônica coloca o homem no centro de sua preocupação e trabalha pela crescente melhora de suas condições vitais.
A filosofia maçônica nos incita a procurar para o homem a dignidade, o decoro, a consideração e o respeito `a sua personalidade, cinzelada nas contingências da vida, enquanto ela se desenrola em torno de um temperamento, de uma vontade, uma inteligência e uma vocação.
A filosofia maçônica deseja que o ser e a existência do homem girem em torno de três valores superiores que a História destacou como as maiores conquistas da humanidade: liberdade, igualdade e fraternidade. Ela pondera mais que nenhuma outra, dentre as três, a fraternidade, pela transcendência e os benefícios que implica e abarca tanto na esfera do individual como no coletivo.
A filosofia maçônica quer defender o homem da ignorância e da incultura, dos temores e das necessidades, da exploração e das injustiças, do fanatismo do dogma, dos tabus sobretudo da opressão e das tiranias interiores e exteriores de qualquer classe.
A filosofia maçônica deseja situar o homem numa sociedade onde reine a ordem e o trabalho, a igualdade de possibilidades e de oportunidades, a paz e o progresso, a competência não bastarda, mas que desenvolva as capacidades e as iniciativas, e a cooperação e a solidariedade contidas em seu ser. Quer prepara-lo para viver e atuar inteligente e construtivamente num regime democrático e conseguir a melhora e o aperfeiçoamento deste seu regime, de maneira que alcance o que ele ofereça nos campos econômico, social, cultural e político. E defende o regime democrático porque, até agora, é o que melhor se apresentou. E o quer total e não parcial.
A filosofia maçônica quer faze-lo sentir e segurar e incorporar a seu ser e existência esta noção da independência, da interação, da intercomunicação dos indivíduos e dos grupos e dos povos da humanidade. Ao procurar-lhe esta consciência está fundamentando a fraternidade humana, a paz e a solidariedade.
A filosofia maçônica mostra ao homem o incalculável valor da arte de pensar bem e do domínio humano, pelo saber, sobre a natureza e a sociedade. Ela lhe mostra, também, o valor incalculável do livre exame e da dúvida metódica e o domínio sobre os meios e instrumentos que reclamam uma ação sábia, prudente e eficaz. Evidencia e demonstra-lhe que a ciência e a lógica, em que pese sua eficiência e utilidade, não satisfazem toda a ânsia humana de saber nem sobrepujam nem superpassam as contingências na existência humana. Demonstra a ele que o concerto harmônico de cérebro, mão e coração é superior a todo intelectualismo enfermiço, a todo falso ou aparatoso romantismo, a todo predomínio controlado da técnica desumanizada. Procura fazer que sua vida se deslize dentro do triângulo áureo da verdade, do bem e da beleza. E que uma vez organizada e afinada sua vida, ela se ponha ao serviço do bem comum. Forma homens, forma dirigentes, forma combatentes pela verdade e o bem. Acende no homem sua fé e seu entusiasmo em torno das possibilidades de superação que há em todos os indivíduos e em todos os povos. Consolida sua crença em que o superior emerge do inferior e em que um transformismo meliorativo, que melhora a condição humana, é factível não sòmente na condição humana, mas em toda ordem de coisas. Trata de dissipar nele toda burla e perda do sentido de universalidade, todo resto de cepticismo infecundo e sobretudo toda mostra de dúvida constante e cega, pirrônica. Sustenta no homem sua adesão insubornável aos poderes do entendimento e da razão, mas sem menosprezar os aportamentos empíricos da experiência. Leva-o a apoiar-se num positivismo científico e não estacar-se no exercício da meditação e das lucubrações nos campos metafísicos da ontologia, da gnoseologia e da axiologia. Reforça suas preocupações e seus estudos comparados em torno das religiões para retemperar nela a tolerância; respeitar a inata religiosidade e abraçar um deísmo ou um gnosticismo eqüidistante do ateísmo estéril e do teísmo anticientífico e antirracional, sempre eivado de sectarismo e de proselitismo anacrônicos. Ele é levado a assumir uma atitude tolerante frente ao magismo, ou seja, à magia e à parapsicologia; mas também evitar que se entregue com entusiasmo infundado estas ocupações; logo verá, diz, a luz pelo caminho da investigação nestes casos em particular.
A filosofia maçônica está ao lado do espiritualismo, sem deixar de considerar e ponderar o que houver de valioso e provado nas correntes materialistas. Adere ao postulado que está acima do individualismo e do coletivismo obsecado e segundo o qual o indivíduo existe em, por e para a sociedade e esta, ou seja, a sociedade, existe por e para o indivíduo. Exalta a preocupação pela existência humana, seus problemas, suas preocupações, suas esperanças, mas sem cair nas garras do existencialismo, sobretudo do pessimista tétrico e aniquilador.
Confirma no homem a necessidade da organização e da hierarquia, da direção, da subordinação, dos regulamentos; da conseqüente seleção no ingresso e na ascenção, até a formação de um agrupamento humano de elite. Da disciplina consciente e aceita; da divisão do trabalho e da cooperação e da solidariedade institucionais.
Recorre aos continentes constantes, símbolos, números, alegorias, rituais etc., para moldar neles os conteúdos circunstanciais das épocas históricas e manter assim a persistência das doutrinas e dos costumes, conforme à lei de constante mudança e do vaivém ideológico e das modas imperantes. Reforça o caráter prospectivo do homem e a vantagem de que se fixem metas e fins preestabelecidos em sua existência, objetivos e fins que possa alcançar, utilizando o poder, o saber, a estabilidade emocional e a serenidade.
Aproxima-se a filosofia maçônica do socratismo e do aristotelismo e mais, ainda, do estoicismo e do senequismo, às posições renascentistas e racionalistas; inviolavelmente adicta a Ilustração ou Iluminismo; ligada estreitamente ao criticismo kantiano; ao espiritualismo; ao positivismo e, particularmente, ao evolucionismo e à filosofia da vida; ela se retira certa e efetivamente da órbita de Nietzsche e de Marx, de Sartre e de Camus que atentam contra a personalidade humana; e tem contatos, em compensação, à distância, com o intuicionismo e os movimentos fenomenológicos prospectivos e axiológicos.
Esta é, numa síntese abreviada, muito reduzida e quase esquemática, a relação de como a filosofia maçônica enquadrou-se na filosofia geral e extraiu estas posições e destas tendências".
PRINCÍPIOS FUNDAMENTAIS - A Maçonaria é uma Ordem Universal, formada por homens de todas as raças, credos e nacionalidades, acolhidos por iniciação e congregados em Lojas, nas quais, por métodos ou meios racionais, auxiliados por símbolos e alegorias, estudam e trabalham para a construção da Sociedade Humana.
É fundada no Amor Fraternal, na esperança de que com Amor a Deus, à Pátria, à Família e ao Próximo, com Tolerância, Virtude e Sabedoria,com a constante e livre investigação da Verdade, com o progresso do Conhecimento Humano, das Ciências e das Artes, sob a tríade - Liberdade, Igualdade e Fraternidade - dentro dos princípios da Razão e da Justiça, o mundo alcance a Felicidade Geral e a Paz Universal.
Desse enunciado, deduzem-se os seguintes corolários:
a. A Maçonaria proclama, desde a sua origem, a existência de um PRINCÍPIO CRIADOR, ao qual, em respeito a todas a religiões, denomina Grande Arquiteto do Universo;
b. A Maçonaria não impõe limites à livre investigação da Verdade e, para garantir essa liberdade, exige de todos a maior tolerância;
c. A Maçonaria é acessível aos homens de todas as classes, crenças religiosas e opiniões políticas, excetuando aquelas que privem o homem da liberdade de consciência, restrinjam os direitos e a dignidade da pessoa humana, ou que exijam submissão incondicional aos seus chefes, ou façam deles - direta ou indiretamente - instrumento de destruição, ou ainda, privem o homem da liberdade de manifestação do pensamento;
d. A Maçonaria Simbólica se divide em três Graus, universalmente Reconhecidos e adotados: Aprendiz, Companheiro e Mestre;
e. A Maçonaria, cujo objetivo é combater a ignorância em todas as suas Modalidades, constitui-se numa escola mútua, impondo o seguinte Programa:
- obedecer às leis democráticas do País;
- viver segundo os ditames da Honra;
- praticar a Justiça;
- amar ao Próximo;
- trabalhar pela felicidade do Gênero Humano, até conseguir sua emancipação progressiva e pacífica.
f. A Maçonaria proíbe, expressamente, toda discussão religiosa-sectária ou político-partidária em seus Templos;
g. A Maçonaria adota o Livro da Lei, o Esquadro e o Compasso, como suas Três Grandes Luzes Emblemáticas. Durante os trabalhos, em Loja, deverão estar sempre sobre o Altar dos Juramentos, na forma determinada nos Rituais;
A par desta Definição de Princípios Fundamentais, e da declaração formal de aceitação dos Landmarks, codificados por Albert Gallatin Mackey, a Maçonaria proclama, também, os seguintes postulados:
I - Amar a Deus, à Pátria, à Família e à Humanidade;
II - Exigir de seus membros boa reputação moral, cívica, social e familiar, pugnando pelo aperfeiçoamento dos costumes;
III - Lutar pelo princípio da Eqüidade, dando a cada um o que for justo, de acordo com sua capacidade, obras e méritos;
IV - Combater o fanatismo e as paixões que acarretam o obscurantismo;
V - Praticar a Caridade e a Benemerência de modo sigiloso, sem humilhar o necessitado, incentivando o Solidarismo, o Mutualismo, o Cooperativismo, o Seguro Social e outros meios de Ação Social;
VI - Combater todos os vícios;
VII - Considerar o trabalho lícito e digno como dever primordial do Homem;
VIII - Defender os direitos e as garantias individuais;
IX - Exigir tolerância para com toda e qualquer forma de manifestação de consciência, de religião ou de filosofia, cujos objetivos sejam os de conquistar a Verdade, a Moral, a Paz e o Bem Estar Social;
X - Os ensinamentos maçônicos induzem seus adeptos a se dedicarem à felicidade de seus semelhantes, não somente porque a Razão e a Moral lhes impõem tal obrigação, mas porque esse sentimento de solidariedade os fez Filhos Comuns do Universo e amigos de todos os Seres Humanos.

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Hoje na História - 14 de Dezembro

           
14/12/1799 - Morre George Washington (foto), primeiro presidente dos Estados Unidos (1789-1797) e um dos principais líderes da Revolução norte-americana.

14/12/1995 - Em Paris, líderes da antiga Iugoslávia assinam um tratado de paz para a Bósnia.

14/12/1956 - Brasil compra da Grã-Bretanha o porta-aviões Minas Gerais.

14/12/1954 - O divórcio é finalmente legalizado na Argentina.

14/12/1945 - Josef Kramer e 10 outros nazistas são executados por genocídio e crimes de guerra cometidos durante a Segunda Guerra Mundial.

14/12/1937 - Governo chinês pró-japonês se instala em Pequim e passa a administrar a fronteira do Norte do país.

14/12/1935 - Thomas Masaryk, primeiro presidente da Tchecoslováquia, renuncia ao seu posto.

14/12/1923 - Borges de Medeiros e Assis Brasil assinam o acordo de Pedras Altas, que dá fim à guerra no Rio Grande do Sul.

14/12/1918 - Na Grã-Bretanha, mulheres votam pela primeira vez numa eleição geral do país.

14/12/1918 - Sidonio Pais, presidente de Portugal, é fatalmente ferido em Lisboa, semanas após ter sofrido uma tentativa de assassinato.

14/12/1927 - A Grã-Bretanha assina um tratado reconhecendo a independência do Iraque.

14/12/1993 - A União Européia estabelece relações diplomáticas com a África do Sul, após anos de boicote em razão do regime de apartheid no país.

14/12/1819 - O Alabama se torna o vigésimo segundo estado norte-americano.

14/12/1981 - Israel anexa as Colinas do Golan, território conquistado da Síria durante a Guerra dos Seis Dias, em junho de 1967.

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

INSTRUÇÃO

Huzzé
Ir:. Manoel L.F. Júnior

A palavra Huzzé tem origem hebraica, embora em árabe seja pronunciada “Huzza”.
Para os antigos árabes ‘Huzza’ era o nome dado a uma espécie de acácia consagrada ao sol como símbolo da imortalidade e sua tradução significa força e vigor, palavras simbólicas que fazem parte da tríplice saudação feita na Cadeia de União: Saúde, Força e Vigor.
Na Inglaterra a aclamação ‘Huzzé’ tem a pronúncia Uzei, tomada do verbo to huzza (aclamação) com o sentido de “viva o rei”.
Alguns significados
- No pequeno Vademecum Maçônico do Ir.´. Ech Lemos – Grito de alegria dos maçons do rito escocês;
- No Dicionário de Maçonaria do Ir.´. Joaquim Gervasio de Figueiredo – Grito de aclamação do maçom escocês;
- No dicionário maçônico do Ir.´. Rizzardo da Camino – Corruptela de Huzza, que seria a expressão de alegria e louvor usada pelos maçons ingleses traduzida por “viva”.
Biblicamente, HUZZÉ era o nome de uma personagem.
Pronúncia
Deve-se pronunciar ‘Huzzé’, dando ênfase ao som da letra H, que exige um sopro mais forte, e ‘zzé’ como afirmação, como que solfejando um Dó bem longo e terminando em Fá, tendo a sensação de estar passando do escuro da noite para o alaranjado da manhã, da dúvida para a certeza, da angústia para serenidade.
Na Maçonaria, Huzzé é uma exclamação, e como tal, deve ser clamada com um sopro forte, quase gritado, em dois sons, para que possa ser respeitada a harmonia musical do vocábulo, a fim de que se conserve todo efeito esotérico desta saudação ao G:.A:.D:.U:., significando que Deus é sabedoria, força e beleza.
Huzzé, Huzzé, Huzzé, ou seja, Salve o G:.A:.D:.U:., salve o G:.A:.D:.U:., salve o G:.A:.D:.U:.
O valor do Huzze está no som, a energia provocada elimina as vibrações negativas.
Quando em Loja, surgirem discussões ásperas e o V.´.M.´. recear que o ambiente possa ser “perturbado” suspenderá os trabalhos, e comandará a expressão Huzzé, de forma tríplice.
Reiniciando os trabalhos, o ambiente será outro, ameno e harmônico.
Dentro de Loja, o V:.M:. comanda no início dos trabalhos a exclamação Huzzé, que deve ser pronunciada em uníssono. Essa exclamação prepara o ambiente espiritual, afastando os resquícios de vibrações negativas trazidas para dentro do templo pelos IIr:. Ao término dos trabalhos é exclamado para aliviar as tensões surgidas. Toda liturgia maçônica compreende os aspectos místicos, físicos e psíquicos.
O Huzzé que provoca a expulsão do ar impuro, substituído pelo “Prana” que se forma no Templo, harmoniza o ambiente numa escala única, num nível salutar, capacitando o maçom para receber em seu interior os benefícios da Loja.
Quando um maçom é solicitado a exclamar o Huzzé, deve fazê-lo conscientemente para obter, assim, os resultados mágicos dessa manifestação física de seu organismo.

GOB-PE vai fundar Academia Maçônica de Letras

O Grande Oriente do Brasil em Pernambuco está na fase final de organização para fundar a Academia Maçônica de Artes, Ciências e Letras do Grande Oriente do Brasil em Pernambuco - ACADGOB-PE.
Somente irmãos do Grande Oriente de Pernambuco, regulares e que tenham alcançado o grau de Mestre Maçom poderão participar.
Os interessados deverão enviar curriculo maçônico e profano resumido para o Grande Oriente de Pernambuco e aguardar o convite para as reuniões preliminares para escolha de patronos e a adoção das outras providências.
A ACADGOB-PE terá 120 cadeiras, distribuídas em 40 para Artes, 40 para Ciências e 40 para Letras.

Hoje na História - 13 de Dezembro


13/12/1968 - O governo decreta, no Palácio das Laranjeiras, o Ato Institucional nº 5. O Congresso Nacional entra em recesso por prazo indeterminado.

13/12/1958 - Nos Estados Unidos, o foguete Júpiter é lançado com um macaco a bordo.

13/12/1577 - Sir Francis Drake inicia a sua viagem ao redor do mundo. Ele foi o primeiro navegante inglês a circunavegar o globo.

13/12/1998 - Porto Rico recusa a opção de se tornar um estado norte-americano.

13/12/1991 - As Coréias do Norte e do Sul assinam um tratado de não-agressão, com o propósito de melhorar as suas difíceis relações políticas.

13/12/1983 - O civil Turgut Ozal se torna o primeiro-ministro da Turquia após três anos de liderança militar no país.

13/12/1982 - Um terremoto no Iêmen resulta em 3000 mortos e 2000 feridos.

13/12/1981 - O governo comunista polonês decreta a Lei Marcial que declara ilegal o movimento de Solidariedade liderado por Lech Walesa.

13/12/1974 - O ex-Beatle George Harrison almoça com o presidente dos Estados Unidos, Gerald R. Ford, na Casa Branca.

13/12/1959 - O arcebispo Makarios é eleito presidente do Chipre.

13/12/1958 - Nas Nações Unidas, uma moção sobre o direito de independência da Argélia é recusada.

13/12/1937 - Tropas japonesas invadem a cidade chinesa de Nanking, e durante seis semanas matam aproximadamente 200.000 chineses.

13/12/1928 - Estreia de “Um Americano em Paris”, de George Gershwin, no Carnegie Hall.

13/12/1838 - Eclode no Maranhão a Revolta dos Balaios. Sua maior liderança foi Manoel Francisco dos Anjos Ferreira.

13/12/1642 - O navegante holandês Abel Janszoon Tasman descobre a Nova Zelândia, que considerou como parte de um “continente austral”.

domingo, 12 de dezembro de 2010

BOAS FESTAS!

Venerável José Evaristo e a esposa Silvana Amália, felizes com o sucesso da festa

Loja Padre Miguelinho encerra atividades
de 2010 com jantar de confraternização


A Loja Maçônica Padre Miguelinho fez ontem o seu Jantar de Confraterniza;ao, comemorando o encerramento dos trabalhos maçônicos de 2010 e o Natal entre os irmãos, familiares e convidados.
A festa, muito concorrida, foi realizada no Olimpo Recepções, na Avenida Hermes da Fonseca, com animação de Silveirinha e Banda, que tocou um repertório especial de MPB para os convidados até às 3 horas da madrugada deste domingo.
Todos foram recepcionados na entrada do Olimpo pelo Venerável José Evaristo Medeiros Araújo, que demonstrava sua satisfação pessoal com o sucesso da Festa de Confraternização e com o comparecimento maciço dos Irmãos e familiares.
Entre outras autoridades maçônicas, prestigiaram a comemoração da Loja Padre Miguelinho o Soberno de Honra do GOIERN, Antonio de Brito Dantas, e o presidente da Poderosa Assembleia Legislativa Maçônica do GOIERN, Ivo Nicolau.


O venerável José Evaristo Medeiros Araújo fez uma saudação aos Irmãos e convidados, destacando o empenho de todos para o êxito dos trabalhos de 2010 e pelo sucesso da Festa de Confraternização, e pediu o mesmo ânimo para as atividades do ano novo.
A cunhada Silvana Amália, líder das Samaritanas da Loja, também agradeceu o trabalho e o envolvimento das cunhadas para o sucesso da festa, e conduziu uma oração de agradecimento pelo êxito dos trabalhos no ano que se encerra.


Durante a festa, um telão instalado ao lado da banda mostrava imagens das dezenas de eventos realizados pela Loja Padre Miguelinho ao longo de 2010, e também as fotos da confraternização do ano passado e deste ano.

PENSATA


Mundo da Cultura
Valter Sergio de Abreu

“Cultura (do latim colere, que significa cultivar) é um conceito de várias acepções, sendo a mais corrente a definição genérica formulada por Edward B. Tylor, segundo a qual cultura é “aquele todo complexo que inclui o conhecimento, as crenças, a arte, a moral, a lei, os costumes e todos os outros hábitos e aptidões adquiridos pelo homem como membro da sociedade”. Em Roma, na língua latina, seu antepassado etimológico tinha o sentido de “agricultura” (significado que a palavra mantém ainda hoje em determinados contextos), como empregado por Varrão, por exemplo. Cultura é também associada, comumente, a altas formas de manifestação artística e/ou técnica da humanidade, como a música erudita europeia (o termo alemão “Kultur” – cultura – se aproxima mais desta definição). Definições de cultura foram realizadas por Ralph Linton, Leslie White, Clifford Geertz, Franz Boas, Malinowski e outros cientistas sociais. Em um estudo aprofundado, Alfred Kroeber e Clyde Kluckhohn encontraram pelo menos 167 definições diferentes para o termo cultura.
“Por ter sido fortemente associada ao conceito de civilização no século XVIII, a cultura muitas vezes se confunde com noções de: desenvolvimento, educação, bons costumes, etiqueta e comportamentos de elite. Essa confusão entre cultura e civilização foi comum, sobretudo, na França e na Inglaterra dos séculos XVIII e XIX, onde cultura se referia a um ideal de elite. Ela possibilitou o surgimento da dicotomia (e, eventualmente, hierarquização) entre “cultura erudita” e “cultura popular”, melhor representada nos textos de Matthew Arnold, ainda fortemente presente no imaginário das sociedades ocidentais.” (fonte Wikipedia)
A cultura, na sua conceituação primeira, como consignado no parágrafo inicial da citação acima, é a soma de experiências, conhecimentos, crenças, aptidões e hábitos pessoais sendo por definição única.
A evolução ética, moral ou estética de uma sociedade (sua cultura) está diretamente relacionada ao crescimento do indivíduo e, assim, aos que dedicam à Cultura incumbe viabilizar os melhores cenários possíveis para que a livre e respeitosa manifestação do pensamento e do sentimento ocorra.
Para o “Mundo da Cultura”, que é a grande alavanca que faz desencadear e que mantém em movimento nossa sociedade, não são convenientes ou oportunos os radicalismos e pouco importam as diferenças raciais e sociais.
Igualmente são dispensáveis as posições estreitas e incapazes de movimento de qualquer, especialmente aquelas relacionadas às tendências políticas, aos temperamentos de cada qual.
Opções fundamentalistas relacionadas aos esportes, opção sexual, credos religiosos, interesses escusos, dentre outras, não somente dificultam, mais muitas vezes inviabilizam a montagem do conveniente palco para o desenvolvimento da cultura.
Diga-se que o que se nos parece inadequado é o fundamentalismo e não a adoção de qualquer posicionamento ou manutenção de quaisquer das situações mencionadas anteriormente ou a seguir.
Aliás, o maior tesouro para a Cultura é exatamente a diversidade cuja expressão apenas é possível com a adoção de posicionamentos liberais, tolerantes e respeitosos para com as pessoas e para com o passado, o presente e o futuro e as verdades de cada tempo.
O homem verdadeiramente ligado à Cultura busca a convivência (vivência conjunta), pouco importando, salvo pelas intercorrências que formaram os indivíduos, a origem de seus interlocutores.
A evolução social provocada incessantemente pela Cultura passa necessariamente por enfrentamentos.
Veja-se, por exemplo, a Revolução Francesa[1], que, inobstante tenha tomado para si a trilogia de Rousseau, em verdade teve como mote a luta pela liberdade! E o velho se opôs ao novo com mão de ferro...
Veja-se seguidamente a Revolução Russa[2], que foi a grande luta pela igualdade de direitos e obrigações! E novamente o velho se opôs ao novo com mão de ferro...
Finalmente, após término da Segunda Guerra Mundial[3], a Organização das Nações Unidas[4] adotou a Declaração Universal dos Direitos Humanos[5], norma esta que recepcionou as conquistas até então obtidas, extraindo-se do texto legal o estabelecimento de mais um direito, qual seja, a solidariedade, ou a fraternidade, mas não sem a mais sangrenta das oposições, com dezenas de milhões de mortos!
Assim é que a Cultura humana é essencial, pois que até o momento trouxe para os seres humanos a consolidação da Liberdade, da Igualdade e da Fraternidade não apenas como objetivos, mas como direitos!
Não se pode estranhar a ferrenha oposição dos antigos conceitos e daqueles que absurdamente o defenderam à nova maneira de alcançar as finalidades.
Não bastasse a aparente falta de controle que as novidades traziam, os que se mantiveram antigos não as conheciam e, assim, sabiam da dificuldade de algo melhor apresentarem.
A solução para eles foi elevar seus punhos armados de pesados objetos contra os evolucionistas!
Uma pena que até hoje a elevação da humanidade tenha se dado pela revolução e não pela evolução, pela guerra e não pelo diálogo...
Mas aproxima-se uma nova e radical mudança cultural.
Juntar-se-á aos conceitos de liberdade, igualdade e fraternidade o quarto conceito que é a tolerância, que não se confunde com conivência ou silêncio temeroso.
A tolerância que somente é gerada pela diversidade cultural e humana e pela convivência (vivência conjunta) já está brotando por todo mundo...
Não se pode tolerar o que se lhe é agradável!
Conviver com o que não se compreende, com aquilo ou aqueles que no íntimo se rejeita é a única forma de realizar uma das facetas mais importantes da Cultura, qual seja a Educação.
O ser humano em muitos lugares e momentos já está educando a si próprio para o exercício da verdadeira tolerância.
Esperamos que ainda possamos alcançar aqueles que antes de nós partiram, assim como esperamos que os defensores dos velhos conceitos compreendam que, sendo velhos, já não atraem por muitas vezes estarem superados.
Atacar métodos de difusão cultural, especialmente àqueles organizados de forma a manterem particular a essência de um grupo, já se nos parece um perigoso levantar de marreta contra todas as conquistas até aqui alcançadas.
Aos defensores do que é novo é bom lembrar que sabedoria se conquista com o envelhecimento e que conselhos devem sempre ser bem vindos.
Aos defensores do que é velho (e nem por isto errado) é importante ressaltar que também eles foram e ainda estão sendo chamados para participar das evoluções que esta sociedade está operando lenta e silenciosamente.
Aos dois grupos abaixo buscaremos demonstrar com imagens que a convivência do velho e do novo é possível e necessária para que a evolução se dê de maneira coesa, limpa e cristalina.
Vamos todos por este e por outros meios trabalhar juntos, lembrando que o grande prazer que pessoas limpas e puras, livres e de bons costumes sorvem dá-se quando estas buscam se conectar.
Cultura e Paz!!!
Grande Secretário de Cultura e Educação Maçônicas do Grande Oriente de São Paulo – G . O . S . P .

[1]  “Revolução Francesa era o nome dado ao conjunto de acontecimentos que, entre 5 de maio de 1789 e 9 de novembro de 1799, alteraram o quadro político e social da França. Ela começa com a convocação dos Estados Gerais e a Queda da Bastilha e se encerra com o golpe de estado do 18 Brumário de Napoleão Bonaparte. Em causa estavam o Antigo Regime (Ancien Régime) e os privilégios do clero e da nobreza. Foi influenciada pelos ideais do Iluminismo e da Independência Americana (1776).
Está entre as maiores revoluções da história da humanidade.
A Revolução é considerada como o acontecimento que deu início à Idade Contemporânea. Aboliu a servidão e os direitos feudais e proclamou os princípios universais de "Liberdade, Igualdade e Fraternidade" (Liberté, Egalité, Fraternité), frase de autoria de Jean-Jacques Rousseau. Para a França, abriu-se em 1789 o longo período de convulsões políticas do século XIX, fazendo-a passar por várias repúblicas, uma ditadura, uma monarquia constitucional e dois impérios.”
Fonte - Wikipedia

[2]  “A Revolução Russa de 1917 foi uma série de eventos políticos na Rússia, que, após a eliminação da autocracia russa, e depois do Governo Provisório (Tataks), resultou no estabelecimento do poder soviético sob o controle do partido bolchevique. O resultado desse processo foi a criação da União Soviética, que durou até1991.
Os Conselhos Operários ou Sovietes (do russo: сове́т) são colegiados, ou corpos deliberativos, constituídos de operários ou membros da classe trabalhadora que regulam e organizam a produção material de um determinado território, ou mesmo indústria. Este termo é comumente usado para descrever trabalhadores governando a si mesmos, sem patrões, em regime de autogestão.”
Fonte - Wikipedia


[3]  “A Segunda Guerra Mundial ou II Guerra Mundial foi um conflito militar global que durou de 1939 a 1945, envolvendo a maioria das nações do mundo – incluindo todas as grandes potências – organizadas em duas alianças militares opostas: os Aliados e o Eixo. Foi a guerra mais abrangente da história, com mais de 100 milhões de militares mobilizados. Em estado de "guerra total", os principais envolvidos dedicaram toda sua capacidade econômica, industrial e científica a serviço dos esforços de guerra, deixando de lado a distinção entre recursos civis e militares. Marcado por um número significante de ataques contra civis, incluindo o Holocausto e a única vez em que armas nucleares foram utilizadas em combate, foi o conflito mais letal da história da humanidade, com mais de setenta milhões de mortos.
Geralmente considera-se o ponto inicial da guerra como sendo a invasão da Polônia pela Alemanha Nazista em 1 de setembro de 1939 e subsequentes declarações de guerra contra a Alemanha pela França e pela maioria dos países do Império Britânico e do Commonwealth. Alguns países já estavam em guerra nesta época, como Etiópia e Itália na Segunda Guerra Ítalo-Etíope e China e Japão na Segunda Guerra Sino-Japonesa. Muitos dos que não se envolveram inicialmente acabaram aderindo ao conflito em resposta a eventos como a invasão da União Soviética pelos alemães e os ataques japoneses contra as forças dos Estados Unidos no Pacífico em Pearl Harbor e em colônias ultra marítimas britânicas, que resultou em declarações de guerra contra o Japão pelos EUA, Países Baixos e o Commonwealth Britânico.
A guerra terminou com a vitória dos Aliados em 1945, alterando significativamente o alinhamento político e a estrutura social mundial. Enquanto a Organização das Nações Unidas era estabelecida para estimular a cooperação global e evitar futuros conflitos, a União Soviética e os Estados Unidos emergiam como superpotências rivais, preparando o terreno para uma Guerra Fria que se estenderia pelos próximos quarenta e seis anos. Nesse ínterim, a aceitação do princípio de autodeterminação acelerou movimentos de descolonização na Ásia e na África, enquanto a Europa ocidental dava início a um movimento de recuperação econômica e integração política.”
Fonte - Wikipedia

[4]  “A Organização das Nações Unidas (ONU), ou simplesmente Nações Unidas (NU), é uma organização internacional cujo objetivo declarado é facilitar a cooperação em matéria de direito internacional, segurança internacional, desenvolvimento econômico, progresso social, direitos humanos e a realização da paz mundial. A ONU foi fundada em 1945 após a Segunda Guerra Mundial para substituir a Liga das Nações, com o objetivo de deter guerras entre países e para fornecer uma plataforma para o diálogo. Ela contém várias organizações subsidiárias para realizar suas missões.
Existem atualmente 192 estados-membros, incluindo quase todos os estados soberanos do mundo. De seus escritórios em todo o mundo, a ONU e suas agências especializadas decidem sobre questões dessubstantivas e administrativas em reuniões regulares ao longo do ano. A organização está dividida em instâncias administrativas, principalmente: a Assembleia Geral (assembleia deliberativa principal); o Conselho de Segurança (para decidir determinadas resoluções de paz e segurança); o Conselho Econômico e Social (para auxiliar na promoção da cooperação econômica e social internacional e desenvolvimento); o Secretariado (para fornecimento de estudos, informações e facilidades necessárias para a ONU), o Tribunal Internacional de Justiça (o órgão judicial principal). Além de órgãos complementares de todas as outras agências do Sistema das Nações Unidas, como a Organização Mundial de Saúde (OMS), o Programa Alimentar Mundial (PAM) e o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF). A figura mais publicamente visível da ONU é o Secretário-Geral, cargo ocupado desde 2007 por Ban Ki-moon, da Coreia do Sul. A organização é financiada por contribuições voluntárias dos seus Estados membros, e tem seis idiomas oficiais: Árabe, Chinês, Inglês, Francês, Russo e Espanhol.”
Fonte - Wikipedia

[5]  “A Declaração Universal dos Direitos Humanos foi adotada pela ONU em 10 de dezembro de 1948 (A/RES/217). Esboçada principalmente por John Peters Humphrey, do Canadá, mas também com a ajuda de várias pessoas de todo o mundo - Estados Unidos, França, China, Líbano entre outros, delineia os direitos humanos básicos.
“Abalados pela barbárie recente e ensejosos de construir um mundo sob novos alicerces ideológicos, os dirigentes das nações que emergiram como potências no período pós-guerra, liderados por URSS e Estados Unidos estabeleceram na Conferência de Yalta, na Ucrânia, em 1945, as bases de uma futura "paz" definindo áreas de influência das potências e acertado a criação de uma Organização multilateral que promova negociações sobre conflitos internacionais, objetivando evitar guerras e promover a paz e a democracia e fortaleça os Direitos Humanos.
“Embora não seja um documento que representa obrigatoriedade legal, serviu como base para os dois tratados sobre direitos humanos da ONU, de força legal, o Tratado Internacional dos Direitos Civis e Políticos, e o Tratado Internacional dos Direitos Econômicos, Sociais e Culturais. Continua a ser amplamente citado por acadêmicos, advogados e cortes constitucionais. Especialistas em direito internacional discutem com frequência quais de seus artigos representam o direito internacional usual.
“A Assembleia Geral proclama a presente Declaração Universal dos Direitos Humanos como o ideal comum a ser atingido por todos os povos e todas as nações, com o objetivo de que cada indivíduo e cada órgão da sociedade, tendo sempre em mente esta Declaração, se esforcem, através do ensino e da educação, por promover o respeito a esses direitos e liberdades, e, pela adoção de medidas progressivas de caráter nacional e internacional, por assegurar o seu reconhecimento e a sua observância universal e efetiva, tanto entre os povos dos próprios Estados-Membros, quanto entre os povos dos territórios sob sua jurisdição.
“Segundo o Guinness Book of  World Records, a Declaração Universal dos Direitos Humanos é o documento traduzido no maior número de línguas (337 em 2008). Em Maio de 2009, o sítio oficial da Declaração Universal dos Direitos Humanos dava conta da existência de 360 traduções disponíveis.”
Fonte - Wikipedia

ENSAIO


Condições para ser Maçom

1. É subir a Escada de Jacó pelas Iniciações da Vida sem ferir os Irmãos neste percurso;
2. É realizar o sonho de desbastar pelo pensamento e pelas acções as arestas dos vícios e da insensatez;
3. É socorrer o Irmão nas dificuldades, chorar com ele as suas angústias e saber comemorar a seu lado as suas vitórias;
4. E reconhecer nas viúvas e nos órfãos a continuidade do Irmão que partiu para o Oriente Eterno;
5. É ver na filha do Irmão a sua filha e na esposa do Irmão, uma Irmã, Mãe ou Filha;
6. É combater o fanatismo e a superstição sem o açoite da guerra mas com a insistência da palavra sã;
7. É ser modelo da eterna e universal justiça para que todos possam concorrer para a felicidade comum;
8. É saber conservar o bom senso e a calma quando outros o acusam e o caluniam;
9. É ser capaz de apostar na sua coragem para servir aqueles que o ladeiam, mesmo que lhe falte o próprio sustento;
10. Ésaber falar ao povo com dignidade ou de estar com reis e presidentes em palácios sumptuosos e conservar-se o mesmo;
11. É ser religioso e político respeitando o direito da religião do outro e da política oposta à sua;
12. É permitir e facilitar o desenvolvimento pleno das concorrências para que todos tenham as mesmas oportunidades;
13. É saber mostrar ao mundo que nossa Ordem não é uma Sociedade de Auxílios Mútuos;
14. É estar dominado pelo princípio maior da TOLERÂNCIA suportando as rivalidades sem participar de guerras;
15. É abrir para si e permitir que outros vejam e o sigam, o Caminho do Conhecimento e da Iniciação;
16. É conformar-se com suas posses sem depositar inveja nos mais abastados;
17. É absorver o sacerdócio do Iniciado pela fé no Criador, pela esperança no melhoramento do homem e pela caridade que abrir-se-á em cada coração;
18. É sentir a realidade da vida nos Sagrados Símbolos da Instituição;
19. É exaltar tudo o que une e repudiar tudo o que divide;
20. É ser obreiro de paz e união, trabalhando com afinco para manter o equilíbrio exacto entre a razão e o coração;
21. É promover o bem e exercitar a beneficência, sem proclamar-se doador;
22. É lutar pela FRATERNIDADE, praticar a TOLERÂNCIA e cultivar-se integrado numa só família, cujos membros estejam envoltos pelo AMOR;
23. É procurar inteirar-se da verdade antes de arremeter-se com ferocidade contra aqueles que julga opositores
24. É esquivar-se das falsidades inverossímeis, das mentiras grosseiras e das bajulações humanas;
25. É ajudar, amar, proteger, defender e ensinar a todos os Irmãos que necessitem, sem procurar inteirar-se do seu Rito, da sua Obediência, da sua Religião ou do seu Partido Político;
26. É ser bom, leal, generoso e feliz, amar a Deus sem temor ao castigo ou por interesse á recompensa;
27. E manter-se humilde no instante da doação e grandioso quando necessitar receber;
28. É aprimorar-se moralmente e aperfeiçoar o seu espírito para poder unir-se aos seus semelhantes com laços fraternais;
29. É saber ser aluno de uma Escola de Virtudes, e Amor, de Lealdade, de Justiça, de Liberdade e de Tolerância;
30. É buscar a Verdade onde ela se encontre e por mais dura que possa parecer;
31. É permanecer livre respeitando os limites que separam a liberdade do outro;
32. É saber usar a Lei na mão esquerda, a Espada na mão direita e o Perdão à frente de ambas;
33. É procurar amar o próximo, mesmo que ele esteja distante, como se fosse a si mesmo.

Texto da CASA REAL DOS PEDREIROS LIVRES DA LUSITÂNIA, escrito na língua portuguesa lusitana